A Bienal Rubem Braga

Desde sua concepção no ano de 2006, a Bienal traduz o compromisso de efetivar a herança do cronista Ruben Braga numa festa da literatura, e assim aconteceu nas edições que se seguiram. Porém, com as edições anteriores dessa festa literária conseguimos juntos, governo e sociedade, construir uma identidade que refletisse a essência do evento, mas, sobretudo, que delineasse na programação, no formato e na concepção visual o verdadeiro sentido democrático da Bienal, proporcionando um encontro de leitores e não leitores, democratizando e ampliando a Feira de Livros, considerando a leitura como um dos mecanismo de liberdade de expressão, como fomentadora da imaginação e do exercício da cidadania.